Peso das Coisas

by Theuzitz

supported by
/
  • Streaming + Download

    Includes high-quality download in MP3, FLAC and more. Paying supporters also get unlimited streaming via the free Bandcamp app.

      name your price

     

1.
04:22
2.
3.
03:25
4.
5.
6.
04:31
7.
8.
07:55
9.
10.
11.

credits

released October 13, 2016

Créditos:

Como segundo disco, a tendência era de que mais pessoas se cercassem e aparecessem, então a lista é mais extensa. Muito obrigado Luiz Picanço, Paulo Antonio, Merlin, Beta, Nanda Loureiro, Gabriella Pompeu, Rodrigo Dias, Olívia Marquioli, André Coelho, Felipe Meneses, Guilherme França, Steve de Pace Gabriel Elliot Garcia, Isabela Moreira, Aline Dill, José Moreira, Elisabeth Andrade, Nalva Reinaldo e Rodrigo Antonio, Lucas Silva, Vinicius Mendes, Guilherme Bruno Aguiar, Calvin Voichicoski, Bruno Will, Lucas de Araujo, Daniel Ishii. Todos foram muito importantes em algum momento nesse processo todo.

E todos da Banana Records e Lixo Records.

Capa, letras e instrumentos por Matheus Antonio. Imagem superior esquerda retirada do acervo de Kat Irlin
Gravado, mixado e masterizado por Matheus Antonio em Jandira/SP.

Coro em Ninguém Se Importa por Rodrigo Dias
Percussões em Saudade: Bruno Will
Violino e saxofone em Saudade: Lucas De Araújo
Guitarras, magic, sintetizadores em Cavalo por Moblins

tags

license

all rights reserved

about

Theuzitz Jandira, Brazil

Etéreo/Tangível

contact / help

Contact Theuzitz

Streaming and
Download help

Track Name: Âncora
Eu sonho acordado na areia
Costas cansadas de tanto tentar
Milhões anos nas mãos
Visões borradas de Deus
Eu me perdi do que eu sou
E eu não sei mais o que ser

Nessa mania de não terminar nada
Como eu me deslumbrei
Como eu me deslumbrei
Track Name: Ninguém se Importa
eu caí
vindo de 100 anos atrás
e ainda não entendi
todo esse gozo e féu
que vem pulsando nas ruas

pobre educação
nem tentando amansar
eu consigo mais ganhar o amor daquela mulata

porque com a minha vaidade
ninguém se importa
com as drogas na cidade
ninguém se importa
com a sexualidade
ninguém mais se importa
com os meus demônios ninguém mais se importa

nada é bom o bastante pra qualquer um
mas hoje o seu deus resolveu me ajudar

porque com a sua vaidade
ninguém se importa
com as drogas na cidade
ninguém se importa
com a sexualidade
ninguém mais se importa
com os seus demônios ninguém mais se importa
com o mármore cuspido
ninguém se importa
com a queda da cultura
ninguém se importa
com o seu dedo em riste
ninguém mais se importa
já que com vosmicê
ninguém mais se importa
Track Name: Andaluz
Eu, que ouvi dizer
Que agulha no palheiro não se acha
E nem vai nascer
O passaro tão lindo, flamejante
Que emerge em cada corpo trucidado
E brilha mais que o sol sob o mirante
Entre as onze e as três

No calor dos dezesseis
Se é mentira o ouro ou os arabescos
Eu já nem sei
A vida é estatistica e um prazo
Brigar com o tempo é ser contrariado
Eu jogo esse jogo e onde eu quiser
Eu consigo ver
Track Name: Sinedoque, SP (intro)
Eu, nascido e vivido em frente ao horizonte
Tinha um passado e um futuro
Num mundo em que eu criei
Track Name: Sinédoque, SP
Eu, nascido e vivido em frente ao horizonte
Tinha um passado e um futuro
Num mundo em que eu criei

Beijei algumas pessoas mas eu não queria
Amei todas tão distante e eu não deveria dizer
Que eu amei

E só cumprimento você
Não te vendo há um ano
Não é normal o frio vencer
Passando por prédios que eu nunca entrei
Só vejo o oco
Tudo é tão oco

É tão fácil voltar pra casa
Ninguém quer ter de ceder
Ninguém se enxerga nu a noite

Laraialaialaialaia
Sou obrigado mas eu não sei o que falar
Me imaginar tão pequeno hoje já não convence mais

E eu me vejo em você por trás desses planos
Sangrando atrás de porquês
Aceitar o que é bom não devia doer
É tão estranho

Vamos falar
As cores surgiram na rua
E as novas crianças já vão tomar a nossa esquina

Sonhei em te ver
Dançando comigo n'outro lugar
Nunca é tão tarde pra se mudar
E se deixar transparecer

As flores daqui
Eu não prometo que iremos ver
Mas o concreto é um mar
Se você quiser vir (eu vou lá)
Se você quiser vir (agora)
Track Name: Saudade
saudade
quisera poder realizar suas vontades
mas eu nunca soube bem o que era meu
prédios de orquídeas, borboletas
e seus lampejos efêmeros caem
junto da armadilha do peso das coisas

liberdade vã
o melhor é sempre o mundo afora
e as tardes tão serenas de tarefas me recompõem
eu corro por quadras e parques
o ar infinito conduz minha alma ao sol

vias crescem outra vez
perdidas no espaço
no seu peito eu me encontrei
estranha sua visita
conflitam calma e euforia
eu sou você
Track Name: Parque da Luz-B
eu
sei muito bem
quanto tempo eu passei guardando
desviando do que eu sempre soube

nessa
de ganhar e perder
eu preferi transcender a aposta
tudo é bem maior do que eu já sei

é, eu posso te encontrar
se eu entrar no mar
o ouro, a cruz e o tempo é só meu
Track Name: Cavalo
milhões de sonhos
lágrimas de cristal vão ferindo o chão
consciência tranquila
e um punhal na mão

miséria é mentir pra si mesmo

a transcendência é amiga da destruição

a correnteza
se inverteu vermelha
toda natureza
humana natureza
explodem nas festas e nos fins
há 25 anos atrás

e no meu sangue eu vi toda a beleza
nas minhas pernas toda a estranheza

trópicos, mares, janelas
meus braços abertos
anjos caídos irmãos

se você vem eu não sei ser mais ninguém

galo já cantou
cristo nasceu
Track Name: (Yoñlu) Tempo Espaço e o Peso das Coisas
Tempo, espaço
E o peso das coisas

A velocidade do capital
A culpa de não rezar
Ansiedade por acreditar em nada
As bombas e massacres ao redor do mundo
As decepções amorosas
Os recordes quebrados
Os gênios
As estatísticas criminalísticas
Os prodígios

O peso das coisas

O sexo

O peso das coisas

Nossos sonhos
Os amigos
Os psicoativos e psicotrópicos
A confiança
Qual o peso das coisas?

Da arte
Do ódio
Do orgulho
Do frio
2006
2050
1964
2016
Qual o peso das coisas?

Do futuro
Da nossa alma
Da ancestralidade
Da projeção astral, minha mãe
Qual o peso das coisas?

Do céu
De Exu
De Atena
De Jesus Cristo
De Gaia
De Alá
Dos outros
Da urgência
Da política
Do passo
Eu canto
Qual o peso das coisas?

Da palavra
De uma fotografia
Da vergonha
Da rua
Do trem
Do tom
Da piada
Do status
Da noite
Das luzes
Da nossa festa
Qual o peso das coisas?

Do nosso nome
Do espelho
Dos animais
Dos átomos
Das partículas
Das estrelas
Das doenças
Do meu ascendente em cancer
Da filosofia
Qual o peso das coisas?

De um pedaço de papel
Do sorriso
Da sanidade
Das conexões forçadas
Das tentativas
Do passado
Dos traumas
Da sanidade
Das vitórias
Da cópia
Da fama
Do contexto
Da utopia
Do ceticismo
Do acaso
Da morte
Do ar
Qual o peso das coisas?

Da descoberta
Da verdade
Do profundo
Da beleza
Do rompimento
De amar demais
Da empatia

Qual o peso das coisas?
Yonlu
O peso das coisas
De qualquer coisa
Qual o peso das coisas?

O calor vem puro quando se domina o tempo

Tempo, espaço e o peso das coisas
Track Name: Depressão Hipermoderna
sorte, amores virtuais
especulação individual
o afunilamento da cultura
e a depressão hipermoderna
quem se importa?

o tempo passa e eu fico aqui
com as minhas metas continuo aqui
jogando bola meus velhos amigos de escola
usando drogas pra poder dormir

mas se eu quiser
eu poderia até falar
da profundeza das águas
ou da tristeza da vida

só que hoje eu já cansei
de todo fardo
eu já cansei

morte as teorias de paz
você não sabe quem eu sou
e se nem os deuses sabem se a vida é uma só
então foda-se

foda-se a desculpa da carne
foda-se o pão e o vinho
foda-se o metrônomo e o algoritmo
foda-se o hype e o zeitgeist

porque se eu quiser
eu poderia até cantar
qualquer samba antigo
ou declamar nostalgia

só que hoje eu já cansei
de não viver eu já cansei